domingo, 1 de maio de 2011

Vinho Tinto


Eu vi as flores
Semearem os sonhos...
Eu assisti o nascer
Das coisas impossíveis,
E o agonizante morrer
De tantas outras realizadas.

Eu vi o girassol girando,
Eu girei com ele...
Eu sonhei comigo...
No odor ébrio
De um vinho tinto,
Fui lançado ao desconhecido,
E, me fascinei...

Ah, esse céu que me seduz!
Voei com a luz...
Fui além dos limites
Que a minha razão impôs.
Se não foram as flores,
Talvez fora o vinho
Que me fez sentir
O gosto doce da liberdade,
Tal qual nuvem perdida
Na imensidão de uma incerteza...

CLÁUDIO AVELINO DA COSTA, O POETA DOS SENTIMENTOS.

Um comentário:

  1. Aqui suas asas ainda estavam intactas...rs. Poema intenso, do jeito que adoro.

    ResponderExcluir